24 de dezembro de 2007

Vendas para todos no internet


Só neste Natal, o comércio eletrônico movimentou mais de R$1 bilhão

Os programas oficiais de incentivo à inclusão digital, o forte aumento da vendas de computadores e a expansão dos serviços de banda larga, favorecidos por preços mais acessíveis, levaram cerca de 2,5 milhões de brasileiros a realizarem, este ano, sua primeira compra pela internet. Com a estréia desse novo contingente no comércio eletrônico, o número de "e-consumidores" no país deve alcançar 9,5 milhões de pessoas este ano, o que significará um aumento de 35% em relação aos 7 milhões de brasileiros que usaram a rede para esse fim no ano passado.

Sem considerar as compras de passagens aéreas, de veículos e os negócios fechados em leilões virtuais, os internautas devem gastar cerca de R$6,4 bilhões em compras pela rede este ano - R$1 bilhão só no Natal -, 45% mais do que em 2006, quando as lojas online faturaram R$4,4 bilhões. As estimativas são da e-bit, empresa de informação sobre comércio eletrônico.

- Essa expansão no faturamento é ainda mais expressiva porque 2006 teve a Copa do Mundo e foi um ano excelente para o varejo online - observa Pedro Guasti, diretor geral da e-bit.

Previsão é crescer até 40% em 2008

Além dos novos internautas que começaram a comprar produtos pela rede este ano, Guasti informa que o faturamento maior reflete um aumento da freqüência de compras das pessoas que já usavam esse canal, fruto da maior confiança nos padrões de segurança e da qualidade dos serviços oferecidos pelas lojas virtuais.

Alexandre Magalhães, gerente de análise de mercado do Ibope Inteligência, nota que, além do crescimento acelerado do número de pessoas com acesso à internet - entre janeiro e novembro, sete milhões de pessoas passaram a se conectar à rede a partir de suas residências -, os novos internautas levam cada vez menos tempo para começar a navegar em sites de comércio eletrônico. A maior oferta de conexões em alta velocidade (banda larga), que, segundo levantamento do Ibope/NetRatings já é usada por 77,7% dos usuários residenciais de internet no país, é um fator a mais de estímulo à navegação nos sites das lojas virtuais.

- Isso com certeza ajuda, porque é mais fácil e dá maior sensação de segurança ao internauta - diz ele.

Segundo dados do Ibope/NetRatings, dos cerca de 21,5 milhões de usuários residenciais que acessaram a internet em novembro, 55,3%, ou quase 12 milhões deles, navegaram por sites de comércio eletrônico. Claro que nem todos vão à compras. Muita gente navega nas lojas virtuais para pesquisar ou comparar preços de produtos que acabam comprado no varejo tradicional.

Magalhães observa ainda que o maior número e variedade de pequenas lojas virtuais atrai cada vez mais internautas. Segundo ele, os pequenos sites vêm ganhando bastante audiência, sem comprometer o movimento das grandes lojas.

- O que antes era procurado em grandes lojas, como Americanas.com e Submarino, hoje pode ser encontrado também em sites menores, especializados em determinados tipos de produtos, como calçados, por exemplo - diz Magalhães.

Segundo Guasti, da e-bit, existem cerca de três mil lojas virtuais na internet brasileira, embora quase 60% do movimento de vendas se concentrem em pouco mais de uma dezenas delas.

- Há grandes lojas com grande faturamento e muitas pequenas lojas que vendem pouco. O que resulta numa grande rotatividade (mortalidade) nesse segmento - informa Guasti.

Junto com a popularização do acesso à internet, acrescenta o executivo da e-bit, está ocorrendo também uma mudança no perfil do internauta que faz compras na rede. Enquanto a participação dos internautas das classe A e B mantém-se relativamente estável, cresce o número de consumidores das classes de menor renda familiar, principalmente da C, de até R$1.200 mensais. Atentas a esse movimento, grandes redes varejistas, como Casas Bahia, Wal-Mart e Carrefour, informam que estão se preparando para ingressar no varejo virtual.

- Está claro para o varejo tradicional que a internet é um canal complementar de vendas, e o ingresso de novas redes deve assegurar um bom ritmo de expansão do comércio online também no próximo ano - diz o diretor da e-bit, que projeta crescimento entre 35% e 40% no faturamento do comércio eletrônico em 2008.

2 comentários to “Vendas para todos no internet”

  • segunda-feira, 24 dezembro, 2007
    Justo says:

    Feliz Natal !

    delete
  • terça-feira, 25 dezembro, 2007
    DANIEL PEARL says:

    Desejo a você KIKA um MARAVILHO e ABENÇOADO 2008! Gostaria de convidar a assistir ao nosso novo vídeo YuoTube:
    “GLOBO NADA A VER” (IMPERDÍVEL. A história da maior indústria televisiva de manipulação do Brasil.
    http://br.youtube.com/watch?v=glDpM7x9YAg
    Endereço do blog:
    http://desabafopais.blogspot.com/
    Um abraço, Daniel – editor.

    delete

Postar um comentário

 

Blog Da Kika Copyright © 2011 -- Template created by Kika Martins -- Powered by Blogger